Ricardo Karman

Arquiteto, empresário e diretor multimídia. Dirige dois espetáculos que marcam os anos 90 pelo insólito de conduzir o público numa travessia interativa por locais urbanos inusitados e originais, oferecendo-lhes uma vivência sensorial, criando conexões entre teatro, artes plásticas, performance e vídeo: Viagem ao Centro da Terra, em um túnel abandonado sob o rio Pinheiros, em 1992 e A Grande Viagem de Merlin, 1995 (itinerante, 130km, obteve matérias no New York Times, revista TIME e outros). Em 2001 ganha o prêmio Shell especial de realização pela montagem de Viagem ao Centro da Terra no Rio de Janeiro.


No palco, ganhou o prêmio APCA (Associação Paulista dos Críticos de Arte) de melhor espetáculo jovem de 2002 com a versão multimídia do clássico O Santo e a Porca, de Ariano Suassuna. É fundador da Kompanhia do Centro da Terra (1989) e do Teatro do Centro da Terra (2001). Em 2005 ganhou os prêmios APCA de direção infantil e Coca-Cola de melhor produção pelo espetáculo-instalação O Ilha do Tesouro, uma experiência interativa entre pais e filhos.


A partir de 2005, aproxima-se mais das artes plásticas e cria três Instalações participativas de grande impacto lúdico e sensorial. Sobre-viventes (2005), hidro-video-instalação na qual os participantes interagiam com chuva de verdade e projeções de vídeo sobre os guarda-chuvas brancos que os protegiam. Um Corpo D’água (2006), experiência espacial e imersiva na qual o público, dentro de um inflável de grandes dimensões interagia com vídeo projeções volumétricas balançando-se em balanços de parques infantis, presos em um enorme tronco de árvore. Pneuma (2007) era um ambiente sensorial que utilizava o vento como elemento de interação. O público vestia acessórios e roupas aero-cinéticos que, acoplados ao corpo, possibilitavam um diálogo lúdico do usuário com o vento.


Ainda em 2007 escreveu e dirigiu o espetáculo experimental e inédito de ficção científica, O Kronoscópio, no palco do Centro da Terra, com grande sucesso de público, apresentado gratuitamente graças ao Programa Municipal de Fomento ao Teatro. Em 2008, adaptou seu espetáculo O Ilha do Tesouro em uma Instalação inflável gigante, especialmente para o Shopping Center Norte, assistido por cerca de 10 mil pessoas. Em 2009, a convite da Secretaria do Meio Ambiente, criou e dirigiu o espetáculo Aguáh – o Espírito das Águas, apresentado para a rede pública de educação no parque da represa Guarapiranga.


Em 2010 criou e dirigiu Teatrokê , espetáculo em que o público é convidado a atuar no palco do Centro da Terra com ajuda de um ponto eletrônico.


De 2010 a 2014 foi o anfitrião de Noites na Taverna, o Sarau de Poesias mensal do Teatro do Centro da Terra.


Em 2011 criou e dirigiu Biliri e o Pote Vazio, espetáculo teatral concebido a partir de um conto chinês milenar, com intervenções multimídia inspiradas no teatro de sombras. O projeto foi contemplado pelo edital da Sabesp e do Centro Cultural Banco Brasil, com apresentações em São Paulo e em Brasília


Em 2016 escreveu e dirigiu o espetáculo multimídia de ficção científica OVONO, patrocinado pelo BB e apresentado no CCBB São Paulo.

KOMPANHIA

04.07.1989

Fundação da Kompa­nhia

KOMPANHIA

525 Linhas 1989

525 Linhas

KOMPANHIA

1990

Reflux

KOMPANHIA

O Santo e a Porca 1990

O Santo e a Porca

KOMPANHIA

Viagem ao Centro da Terra 1992

Viagem ao Centro da Terra

KOMPANHIA

A Grande Viagem de Merlin 1995

A Grande Viagem de Merlin

KOMPANHIA

Marathon 1996

Marathon

KOMPANHIA

2001

Teatro do centro da terra

KOMPANHIA

2005

sobre-viventes

KOMPANHIA

2005

I Mostra de drama­turgia

KOMPANHIA

2005 a 2016

O Ilha do Tesouro

KOMPANHIA

2006

Corpo d’água

KOMPANHIA

2007

O Kronos­cópio

KOMPANHIA

2007

Pneuma

KOMPANHIA

2008

O Ilha - Center Norte

KOMPANHIA

2010

Teatro­kê

KOMPANHIA

2010

Aguáh - Billings

KOMPANHIA

2011

biliri e o pote vazio

KOMPANHIA

2010 a 2014

Sarau Noites na Taverna

KOMPANHIA

2014

O Ilha - Mirada

KOMPANHIA

OVONO 2016

OVONO